Google Duo é o app de videochamadas que promete funcionar em conexões lentas

O Google ainda não tem muitos aplicativos de mensagens, então resolveu criar mais um: nesta terça-feira (16), a empresa começou a liberar o Google Duo, que permite fazer chamadas em vídeo para usuários de Android e iOS. Ele foi anunciado oficialmente durante o Google I/O e promete funcionar até mesmo em conexões lentas.

O Duo é um complemento ao Allo, um aplicativo do Google de mensagens em texto que ainda não está disponível para todos os usuários. O novo aplicativo de videochamadas traz alguns recursos, ahn… bacaninhas, como o Knock Knock, que começa a transmitir o vídeo de quem está te ligando antes mesmo de você atender a chamada (é possível desativá-lo nas configurações).





O foco parece estar na simplicidade: enquanto o Hangouts tentava fazer tudo no mesmo aplicativo, o Duo funciona apenas para conversar em vídeo — e somente com uma pessoa, não em grupo. Além disso, ele se baseia no número de telefone, como oWhatsApp, portanto, não é necessário pedir o nome de usuário da pessoa com quem você quer conversar, nem mesmo ter uma conta no Google.

As videochamadas do Duo são transmitidas pelo QUIC, um protocolo do Google que diminui a latência das chamadas. A tecnologia corrige perdas de pacotes, permitindo que você converse em vídeo mesmo quando estiver numa rede 3G instável. Aliás, em comunicado, o Google afirma que o Duo “foi projetado para funcionar bem em redes mais lentas, como as que existem em mercados emergentes, inclusive 2G”. Se a coisa estiver ruim mesmo, ainda será possível conversar em áudio.

O Google Duo já começou a ser liberado na Play Store e chegará a todos os usuários nos próximos dias. A versão para iPhone também foi lançada nesta terça-feira (16), mas ainda não estava disponível na App Store brasileira até o momento da publicação.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Colecionando problemas: Google Pixel tem falha na função toque duplo para despertar

Microsoft patenteia leitor de digital e gestos como o do Google Pixel

BlackBerry deixa de fabricar smartphones e licencia marca para chinesa