Vendas da Xiaomi caem no maior mercado do mundo enquanto concorrentes ganham espaço



As empresas chinesas ganharam espaço considerável nos últimos anos. Foi-se deixando de lado o preconceito com tais produtos, que foram sendo aperfeiçoados e ganharam melhores peças, além de construção premium, o que conquistou diversos usuários ao redor do mundo. Isso também causou a queda nas vendas de diversas empresas já consolidadas e agora está atingindo até mesmo uma das maiores chinesas do mercado. Isso porque foi divulgado um relatório mostrando que as vendas da Xiaomi caíram consideravelmente, enquanto outras rivais chinesas ganharam espaço no maior mercado do mundo.

A pesquisa foi realizada pela companhia International Data Corp (IDC), que analisou especificamente o mercado chinês. O resultado apontou para uma queda de 38% nas vendas da Xiaomi no segundo trimestre deste ano em relação ao ano passado. Na época, foram vendidos 17,1 milhões de aparelhos, enquanto no mesmo período deste ano foram apenas 10,5 milhões. Isso fez com que a Xiaomi conseguisse chegar apenas à quarta colocação na lista de maiores empresas de smartphones da China, atrás da Huawei, OPPO

Enquanto isso, a Apple continua sofrendo com poucas vendas no mercado chinês. Está posicionada na quinta colocação, atrás da Xiaomi, e viu suas vendas caírem 32% no segundo trimestre deste ano, com as previsões para 2016 não serem nada positivas. As estimativas apontam para uma enorme queda nas vendas da Apple neste ano, principalmente por conta da pouca inovação nos iPhones que serão lançados em setembro.

Segundo a pesquisa do IDC, Huawei e OPPO conseguiram aumentar suas vendas por se concentrarem em, no máximo, dois atributos nas campanhas promocionais. No caso da Huawei, foram enfatizadas as lentes Leica que estão disponíveis nos smartphones da empresa, enquanto a OPPO fez seu marketing ao redor do carregamento rápido.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Colecionando problemas: Google Pixel tem falha na função toque duplo para despertar

Microsoft patenteia leitor de digital e gestos como o do Google Pixel

BlackBerry deixa de fabricar smartphones e licencia marca para chinesa