A Claro vai ultrapassar a TIM em market share de celular?

TIM e Claro travam há mais de 15 anos uma disputa pela 2ªcolocação em market share de celular do Brasil.


A Claro perdeu esta posição para a TIM em 2004, recuperou em 2008, voltou a ser superada pela TIM em 2010 e pode vir a recuperar esta posição em 2016.

A vantagem da TIM em relação à Claro caiu de 4,6 milhões de celulares em 2014 para 256 mil em 2015. Voltou a subir para 2,0 milhões de celulares no 1T16 e caiu novamente para 786 mil celulares em maio.



Esta disputa deve ser definida pelo desempenho destas operadoras no pré-pago, onde a TIM é a líder e a Claro ocupa a 2ª colocação em market share.



A vantagem da TIM em relação à Claro no pré-pago caiu de 7,8 milhões em 2014 para 4,0 milhões em maio de 2016. A Claro é a 2ª colocada em market share de pós-pago e sua vantagem em relação à TIM (3ª colocada) tem se mantida estável em cerca de 3 mihões de celulares.


Como as duas operadoras utilizam critérios diferentes para o desligamento de pré-pagos inativos não é possível dizer quem era efetivamente a 2ª colocada em market share de celular no Brasil em maio. Ambas as operadoras tem apresentado adições líquidas negativas de pré-pago que são influenciadas pelo prazo a partir do qual um celular inativo é desligado. No acumulado dos cinco primeiros meses de 2016 a TIM apresentou adições líquidas negativas de -1,0 milhão de pré-pagos e a Claro de -1,6 milhões.


Diante deste cenário pergunta-se:
Quem irá terminar 2016 na 2ª colocação em market share de celular?
Se Claro e TIM utilizassem os mesmos critérios de desligamento de celulares inativos, quem seria a 2ª colocada em market share?
Até que ponto é importante para Claro e TIM brigar para ser a 2ª colocada em market share de celular no Brasil?
Como o market share tem influenciado o resultado econômico dessas empresas?
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Colecionando problemas: Google Pixel tem falha na função toque duplo para despertar

Microsoft patenteia leitor de digital e gestos como o do Google Pixel

BlackBerry deixa de fabricar smartphones e licencia marca para chinesa