Pular para o conteúdo principal

Especialista mostra como é fácil driblar o bloqueio de tela de um iPhone

(Foto: Divulgação)

Especialista mostra como é fácil driblar o bloqueio de tela de um iPhone

Um especialista em segurança afirma e demonstra: é bem fácil desbloquear um iPhone travado com senha. Sergei Skorobogatov, cientista da computação na Universidade de Cambridge, no Reino Unido, fez um vídeo mostrando como é razoavelmente simples e barato para alguém com conhecimento técnico realizar o processo que causou tanta animosidade entre Apple e FBI no início do ano.

Para quem não se lembra, após o ataque terrorista em San Bernardino, na Califórnia, o FBI recorreu à Apple para desbloquear o aparelho criptografado, criando uma versão mais fraca do iOS. A empresa, por sua vez, se recusou, porque aquilo criaria uma brecha e um precedente permanente que poderia se aplicar a outros clientes que não cometeram crimes.

Todo esse imbróglio poderia ter sido evitado usando a técnica do vídeo, que requer um equipamento simples de apenas US$ 100. Ela envolve remover o chip de memória flash do iPhone e cloná-lo, permitindo realizar infinitas cópias do conteúdo e permitindo infinitas tentativas sem risco de o aparelho apagar o conteúdo protegido dentro do celular. Este ataque funciona com todos os modelos de iPhone até o 6 e o 6 Plus; os mais recentes, no entanto, dependem de equipamento mais sofisticado.

Ele explica que, em geral, o iPhone permite seis tentativas de desbloqueio da tela. Se o usuário não acertar, ele é impedido de tentar novamente por um período. Quanto mais tentativas erradas, maior o tempo em que é impossível realizar novas tentativas, tornando inviável um ataque de força-bruta convencional.

Contudo, como o ataque cria infinitos clones do armazenamento do iPhone, esta restrição passa a não existir mais. O especialista conta que como pode criar quantas cópias ele preferir, o processo pode ser repetido quantas vezes forem necessárias para encontrar a senha.

Cada seis tentativas, estima Skorobogatov, leva cerca de 45 segundos. Assim, para destravar um iPhone com um PIN de 4 dígitos, existem 10.000 combinações diferentes, permitindo que o aparelho seja destravado no máximo em 20 horas. No caso de uma senha de 6 dígitos, o processo pode demorar bem mais, chegando até a três meses de tentativas. Talvez em uma situação de segurança nacional o esforço valha a pena, mas para um crime menor pode não ser tão viável. PINs ainda mais longos poderiam tornar o método de desbloqueio inviável, precisando de vários anos de tentativas.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

As cidades brasileiras com maior número de dispositivos infectados por hackers

Os brasileiros precisam estar cada vez mais atentos com a segurança digital dos seus computadores e celulares. Um relatório da Norton by Symantec revela que o país é o terceiro com mais dispositivos infectados por hackers através de bots.
O país também se destacou como sendo o mais afetado da América Latina, com 37% dos equipamentos infectados. As cidades de São Paulo (36,3%), Rio de Janeiro (20,74%) e Curitiba (6,29%) concentram a maior parte das infecções no país. Além disso, a capital paulista é a segunda com o maior número de dispositivos infectados, ficando atrás somente da Cidade do México.

Veja as dez cidades brasileiras e da América Latina que mais sofrem ataques hackers:

Apenas em 2016, foram identificados mais de 6,7 milhões de dispositivos que foram adicionados à rede global de botnets – os bots são dispositivos conectados à internet infectados com malware que permitem que hackers assumam remotamente o controle de muitos dispositivos ao mesmo tempo –, sendo que mais de 689…

Como recuperar fotos apagadas do Instagram

(Foto: Reprodução)
Como recuperar fotos apagadas do Instagram


Caso você tenha apagado uma foto bacana do Instagram e queira recuperá-la, existem duas possibilidades de fazer isso, embora nenhuma delas garanta que sua imagem será de fato recuperada.

Abaixo explicamos de duas maneiras como encontrar uma foto que você já postou no Instagram. Uma delas depende do Facebook, enquanto a outra aposta na câmera do seu smartphone para resgatar imagens antigas.

Pelo Facebook

Caso você tenha vinculado sua conta do Instagram ao Facebook e costume postar as fotos nas duas redes simultaneamente, é bem provável que a foto removida do Instagram também esteja no seu Facebook.

Para encontrá-la, entre no seu perfil na rede social de Zuckerberg e procure pelos álbuns de fotos. Um deles chama "Instagram Photos" e conta com todas as imagens enviadas ao Facebook por conta do Instagram. Lá dentro, é só procurar a foto que você quer no meio delas.

Nas fotos do seu smartphone

Caso você mantenha ativada a opçã…

GoPro revela a Hero 6 Black, sua nova câmera top de linha

(Foto: Reprodução/Mashable)
GoPro revela a Hero 6 Black, sua nova câmera top de linha

A GoPro anunciou uma nova geração de sua tradicional câmera de ação. A Hero 6 Black chega para suceder a Hero 5 revelada no ano passado e traz uma série de novas capacidades para a câmera em termos de captura de imagem e conectividade.

Em termos de imagem, os usuários vão poder aproveitar a nova tecnologia para registrar vídeos em resolução 4K a uma taxa de 60 quadros por segundos. O modelo anterior só conseguia registrar 30 quadros por segundo nessa resolução. Além disso, quem preferir registrar vídeo em HD poderá aproveitar uma taxa de até 240 quadros por segundo, enquanto o antecessor só chegava a 120.

Já sobre conectividade, a chegada do suporte a redes Wi-Fi de 5 GHz será bem-vindo para quem já fez a transição para um roteador mais recente, com padrão 802.11ac. Isso pode permitir maiores taxas de transferência, o que é sempre uma boa notícia.

Outras mudanças incluem a melhoria na estabilização de ima…