Pular para o conteúdo principal

iPhones enviam secretamente históricos de ligações dos usuários à Apple

iPhones enviam secretamente históricos de ligações dos usuários à Apple


A empresa russa de segurança digital Elcomsoft revelou recentemente mais uma brecha no esquema de privacidade da Apple para os dados dos usuários dos iPhones. Segundo a Elcomsoft contou ao The Intercept, a Apple recebe e armazena por quatro meses os históricos de ligações de todos os seus usuários.

Informações sobre ligações feitas e recebidas por cada usuário, incluindo para quem ele ligou, quando e por quanto tempo conversou com ela, são enviadas automaticamente dos iPhones para os servidores da Apple. Segundo a Apple, os dados ficam armazenados junto com as demais informações do usuário na iCloud; esses dados ficam criptografados e exigem a senha da Apple ID do usuário para serem acessados.

No entanto, de acordo com a Elcomsoft, esse envio de dados de ligações aos servidores da iCloud acontecem mesmo que o usuário não utilize o backup do serviço de nuvem. Diferentemente dos outros serviços de sincronização da iCloud, não é possível impedir que os seus dados de ligações sejam compartilhados com a Apple.

Mesmo que os históricos de ligações dos usuários sejam criptografados nos servidores da empresa, o fato de que eles ficam armazenados expõe os clientes da empresa a alguns riscos. O mais imediato deles é que suas informações sejam acessadas por agentes governamentais. Isso porque os quatro meses durante os quais a empresa retém os dados dos clientes são mais tempo do que as empresas de telefonia armazenam esses dados.

Segundo um ex-agente do FBI, Robert Osgood, as operadoras de telecomunicações geralmente armazenam esses dados por apenas de 30 a 60 dias. Por isso, o FBI ou outras agências de segurança poderiam acessar os dados de ligações dos clientes da Apple mesmo depois de eles terem sido excluídos dos servidores das provedoras de serviços de telefonia.

O principal risco, contudo, é que esses dados possam ser acessados por hackers. Já existem ferramentas - uma das quais foi desenvolvida pela própria Elcomsoft - que possibilitam que uma pessoa mal-intencionada acesse a conta da iCloud de uma vítima obtendo o seu token de autenticação. Essas frramentas permitem até mesmo burlar o sistema de dupla autenticação do serviço.

Mais e mais dados

De acordo com a Elcomsoft, o envio de registros de ligações dos usuários aos servidores do iCloud começou na versão 8.2 do iOS. No iOS 10, no entanto, esse envio foi ampliado. Nessa versão do sistema operacional, até mesmo ligações feitas e recebidas por meio de aplicativos de VoIP de terceiros, como o Skype, WhatsApp ou FaceTime, são registradas e enviadas aos servidores da Apple.

Chris Soghoian, um ativista da União de Liberdades Civis dos EUA, disse que nem mesmo considera essa a pior falha de segurança da Apple. Recentemente, um documento de órgãos de segurança dos Estados Unidos mostrou que a empresa também guarda registros das trocas de mensagens dos usuários por meio do iMessage.

Trata-se de uma ameaça relativamente grave à privacidde dos cidadãos. Isso porque a Apple, mesmo com essas falhas, ainda é a empresa mais segura no mercado de smartphones. Soghoian acredita que dentre os smartphones atuais, apenas os iPhones, Nexus e Pixels estão completamente seguros, e que a privacidade corre o risco de se tornar um luxo na internet do futuro.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

As cidades brasileiras com maior número de dispositivos infectados por hackers

Os brasileiros precisam estar cada vez mais atentos com a segurança digital dos seus computadores e celulares. Um relatório da Norton by Symantec revela que o país é o terceiro com mais dispositivos infectados por hackers através de bots.
O país também se destacou como sendo o mais afetado da América Latina, com 37% dos equipamentos infectados. As cidades de São Paulo (36,3%), Rio de Janeiro (20,74%) e Curitiba (6,29%) concentram a maior parte das infecções no país. Além disso, a capital paulista é a segunda com o maior número de dispositivos infectados, ficando atrás somente da Cidade do México.

Veja as dez cidades brasileiras e da América Latina que mais sofrem ataques hackers:

Apenas em 2016, foram identificados mais de 6,7 milhões de dispositivos que foram adicionados à rede global de botnets – os bots são dispositivos conectados à internet infectados com malware que permitem que hackers assumam remotamente o controle de muitos dispositivos ao mesmo tempo –, sendo que mais de 689…

Como recuperar fotos apagadas do Instagram

(Foto: Reprodução)
Como recuperar fotos apagadas do Instagram


Caso você tenha apagado uma foto bacana do Instagram e queira recuperá-la, existem duas possibilidades de fazer isso, embora nenhuma delas garanta que sua imagem será de fato recuperada.

Abaixo explicamos de duas maneiras como encontrar uma foto que você já postou no Instagram. Uma delas depende do Facebook, enquanto a outra aposta na câmera do seu smartphone para resgatar imagens antigas.

Pelo Facebook

Caso você tenha vinculado sua conta do Instagram ao Facebook e costume postar as fotos nas duas redes simultaneamente, é bem provável que a foto removida do Instagram também esteja no seu Facebook.

Para encontrá-la, entre no seu perfil na rede social de Zuckerberg e procure pelos álbuns de fotos. Um deles chama "Instagram Photos" e conta com todas as imagens enviadas ao Facebook por conta do Instagram. Lá dentro, é só procurar a foto que você quer no meio delas.

Nas fotos do seu smartphone

Caso você mantenha ativada a opçã…

GoPro revela a Hero 6 Black, sua nova câmera top de linha

(Foto: Reprodução/Mashable)
GoPro revela a Hero 6 Black, sua nova câmera top de linha

A GoPro anunciou uma nova geração de sua tradicional câmera de ação. A Hero 6 Black chega para suceder a Hero 5 revelada no ano passado e traz uma série de novas capacidades para a câmera em termos de captura de imagem e conectividade.

Em termos de imagem, os usuários vão poder aproveitar a nova tecnologia para registrar vídeos em resolução 4K a uma taxa de 60 quadros por segundos. O modelo anterior só conseguia registrar 30 quadros por segundo nessa resolução. Além disso, quem preferir registrar vídeo em HD poderá aproveitar uma taxa de até 240 quadros por segundo, enquanto o antecessor só chegava a 120.

Já sobre conectividade, a chegada do suporte a redes Wi-Fi de 5 GHz será bem-vindo para quem já fez a transição para um roteador mais recente, com padrão 802.11ac. Isso pode permitir maiores taxas de transferência, o que é sempre uma boa notícia.

Outras mudanças incluem a melhoria na estabilização de ima…