quinta-feira, dezembro 22, 2016

Veja como é por dentro o fone de ouvido de R$ 1.400 da Apple




(Foto: Reprodução)
Veja como é por dentro o fone de ouvido de R$ 1.400 da Apple 

Lançados oficialmente nesta terça-feira, 13, nos Estados Unidos, os fones de ouvido sem fio da Apple, AirPods, já foram desmontados pelo site iFixit. O objetivo da equipe é verificar se o conserto é fácil de se realizar e, é claro, mostrar como ele é por dentro. Confira todo o processo de desmontagem:
Conteúdo:

A embalagem dos AirPods é composta por um case de carregamento e dois fones de ouvido sem fio. Se perdidas, cada uma das três unidades sai, nos EUA, por US$ 69, como já noticiamos.




Os fones pesam quatro gramas, cada um, e medem 16 milímetros. 






"Por dentro dos fones há uma série de componentes complexos e uma grande quantidade de cola", explica a equipe do site.

Nessa parte ficam ainda peças como um pequeno conector coaxial e dois sensores de proximidade, usados pelo fone para detectar quando ele está em uma orelha.


Na parte de baixo do fone há o ponto de carregamento e o microfone principal, além de uma pequena bateria.





Ao se livrar do plástico, a equipe retirou totalmente a bateria. Segundo análises, eles descobriram que se trata de um exemplar de 93 miliwatts, cerca de 1% da carga de um iPhone 7. Além disso, há uma antena que melhora e equilibra a recepção do sinal embutida nos fones.




Case

Depois de desmontar o fone, é a vez do case de carregamento dos AirPods.


Os responsáveis pelo processo explicam que não é possível abri-lo sem danificar a capa protetora.


Por dentro, há uma bateria de 3.81V, 16 vezes a capacidade dos AirPods.





O iFixit afirma que, em imagens de raio-X, conseguiu perceber problemas de qualidade em soldas do processador do case, encontrando uma série de espaços vazios. "Isso pode ser uma evidência de padrões de baixa qualidade ou de um lançamento de produto apressado", explicam.

Samsung Galaxy S8 pode destronar Google Pixel

Google Pixel vive reinado "temporário" enquanto Samsung sofre queda de vendas. Mas o que deve ser feito para mudar isso?


Depois do vergonhoso lançamento do Samsung Galaxy Note 7 "Explosive Edition", a Samsung foi obrigada a continuar apresentando somente o Galaxy S7 como seu smartphone Premium.

No mesmo tempo em que a Samsung perde clientes mais fiéis, devido a insegurança, a Google entrou na jogada de smartphones novamente lançando seus novos e incríveis Pixel e Pixel XL.

"Pixel, Pixel, Pixel", é o que todos dizem "lá fora". No Brasil, podemos até dizer, mas não temos a novidade e por enquanto não teremos tão cedo.

O Google Pixel foi um sucesso absoluto, esgotando praticamente todas as primeiras unidas à venda em todas as lojas onde está sendo vendido. Eis que surge um novo rei para debater frente a Samsung e Apple no trono pelo Smartphone Premium mais vendido.

Imagem: GSM Arena – Google Pixel


Samsung pode voltar ao trono

O Google Pixel virou Rei, mas nem todo Rei é de fato agradável a todos. Apesar de ter excelentes recursos, vemos que a Samsung gosta mesmo de inovar.

Mas o que é necessário para que a Samsung volte ao topo? Ouvir os usuários e deixar idéias como excluir a entrada para fones de ouvido de lado, além de claro, aproveitar as inovações do Galaxy Note 7 (MENOS A BATERIA) em seu próximo smartphone, o Galaxy S8.
Por que entradas para fones de ouvido?


O usuários não parecem ter aceitado muito bem a mudança da Apple em tornar fones de ouvido mais um acessório que deve ser utilizado sem fio. Agora, o que antes era necessário somente plugar os fones de ouvido na entrada para fones do smartphone, será necessário utilizar o Bluetooth do telefone ou rede Wireless, além de claro, carregar o acessório quando a bateria acabar. Segundo um rumor, a Samsung está fazendo isso com o Galaxy S8.
Melhorar o desempenho da câmera

Um dos recursos que mais chamam a atenção no Google Pixel, é sua câmera. A Samsung, depois da morte fervorosa das câmaras da Nokia cometida pela Microsoft, conseguiu tomar o trono que antes era insuperável, o de melhor câmera para smartphones.



O Google Pixel, por sua vez, apresentou em sua câmera um hardware melhor. Primeiramente, o sensor de pixels da câmera do Pixel são na verdade maiores que o Galaxy S7 — 1.55µm em comparação com 1,4 µm do smartphone da Samsung. O processamento de fotos do Google Pixel não é tão rápido quanto o Galaxy S7, e o resultado do smartphone da Samsung exibe cores mais reais do ambiente capturado.

Android Central: Comparação entre câmera do Galaxy S7 (esquerda) e Google Pixel (direta).


Software mais convincente

A Samsung melhorou e muito o software de seus smartphones Android. O resultado do esforço são mais pessoas confiando em comprar um smartphone da companhia e não esperar por travamentos indevidos.
Inovações do Galaxy Note 7

Algo que com certeza fará do Galaxy S8 um smartphone que pode tomar de volta o temporário ou não trono do Google Pixel, são recursos do Galaxy Note 7.

Hoje, somente o Lumia 950/950 XL e Galaxy Note 7, são capazes de desbloquear o telefone com sensor de íris preciso, que funciona com óculos escuro e durante a noite – existem outros telefones com sensor de íris, mas nenhum deles consegue tanta precisão como os mencionados.

Leitor de íris do Samsung Galaxy Note 7 em funcionamento.


Impactar um Galaxy S8 com sensor de íris preciso e melhorias na impressão digital, podem impactar bastante para as vendas do smartphone, colocando a Samsung à frente novamente e tornando o Galaxy S8 um smartphone indiscutivelmente seguro.

Não é certo que essas mudanças farão do Galaxy S8 "freiar" o crescimento do Google Pixel, mas caso sejam efetuadas, a Samsung com certeza vai continuar ao topo, e o reinado do Google Pixel não passará de pura especulação.

Colecionando problemas: Google Pixel tem falha na função toque duplo para despertar


Nos últimos dias, estão surgindo relatos de problemas com o Google Pixel e Pixel XL, cada vez com mais frequência. Há um defeito conhecido nos alto-falantes do dispositivo, e uma falha na câmera já relatados aqui no TudoCelular.

O Pixel possui leitor biométrico na parte traseira do dispositivo. Por conta disso, muitos usuários pediram que algum recurso fosse disponibilizado para facilitar a consulta à presença de notificações ou o relógio quando a tela está apagada. Há algumas semanas, uma atualização incluiu o toque duplo para despertar no dispositivo.

Entretanto, agora os usuários estão relatando problemas com a função. Ao que parece, quando o smartphone está em modo Doze, o toque duplo não funciona corretamente. O mesmo quando a tela acabou de apagar e o bloqueio ainda não foi ativado.


Nesses casos, para acender a tela do aparelho, é necessário apertar o botão liga/desliga ou ativar a leitura da digital, que era a reclamação inicial dos usuários antes de o Pixel receber o recurso de toque duplo para despertar.

O Google já está ciente do problema e pediu aos usuários que enviem comentários por meio do menu de configurações, na aba Sobre o telefone. Não foi especificado se os desenvolvedores já estão trabalhando em uma correção, mas é possível que sim.


Solução paliativa


O site 9To5Google notou que o problema nos dispositivos Pixel aparece geralmente quando a tela ainda não está bloqueada. O padrão de boa parte dos smartphones Android é que o bloqueio só ocorra cinco segundos após o apagamento do display.

Isso dá tempo suficiente para reacender e continuar usando normalmente caso você esteja em meio a uma leitura, por exemplo.

O usuário pode reconfigurar para que o bloqueio seja imediato ao apagar a tela. Para isto, basta ir até o menu Configurações > Bloqueio de Tela > Bloquear automaticamente.

Microsoft patenteia leitor de digital e gestos como o do Google Pixel

O site PatentlyMobile descobriu um registro de patente feito pela Microsoft relativo a um leitor de impressão digital muito parecido com o que é usado no Google Pixel, o sucessor do Nexus lançado há dois meses. O sensor patenteado é capaz de compreender movimentos feitos com o dedo na tela para realizar tarefas pré-programadas.

Segundo uma análise da patente, com esse leitor é possível realizar três gestos na interação com a tela: tocar, tocar e segurar e tocar e arrastar. Esse tipo de tecnologia também estaria sendo desenvolvido pela Samsung e pela Apple para seus próximos dispositivos móveis top de linha.

De volta ao jogo

A patente, registrada em junho de 2015, explica: "Em uma ou mais implementações, um dispositivo computacional inclui um sensor biométrico, como um leitor de impressão digital, que é configurado para detectar entradas gestuais. Quando uma entrada gestual é recebida de um usuário, o sensor detecta características biométricas e determina um gesto com base na entrada". Caso o usuário não seja autenticado antes do movimento, o smartphone reage de outra maneira.

A existência dessa patente pode não significar nada, mas nos leva a crer que ele seja usado no Surface Phone

A existência dessa patente pode não significar nada, mas nos leva a crer que ele seja usado no Surface Phone, que, segundo boatos, pode ser apresentado na MWC 2017, no fim de fevereiro. Caso isso esteja correto, dá para ver que a Microsoft não está medindo esforços para voltar com tudo para o competitivo mercado de smartphones. Será que ela vai conseguir? Deixe sua opinião aqui nos comentários!


FONTE(S)

terça-feira, dezembro 20, 2016

BlackBerry deixa de fabricar smartphones e licencia marca para chinesa

Fabricante chinesa TCL vai produzir smartphones Android com marca da BlackBerry.


A BlackBerry anunciou recentemente de forma oficial a sua saída do negócio de produzir smartphones. Agora a empresa canadense revelou que licenciou sua marca para a fabricante chinesa TCL produzir aparelhos Android com o logo da BlackBerry.


Com isso, a TCL poderá fabricar e vender os próximos celulares da BlackBerry em todo o mundo, com exceção dos seguintes países: Índia, Indonésia, Bangladesh, Sri Lanka e Nepal, onde a BlackBerry fechou acordos locais de licenciamento.


Vale destacar que a mudança não será nada demais para a TCL, que já foi responsável pelos dois smartphones mais recentes da BlackBerry, o DTEK50 e o DTEK60, ambos com sistema Android.


Com isso, a BlackBerry segue um caminho parecido com a Nokia, que licenciou recentemente sua marca para a empresa finlandesa HMD Global usar em novos telefones celulares.


Líderes do mercado mobile em um passado cada vez mais remoto, Nokia e BlackBerry não conseguiram acompanhar as mudanças do segmento, seja a importância do touch nos smartphones, caso da Nokia, ou em reconhecer que o próprio sistema não poderia competir com o Android, caso da BlackBerry.


Não por acaso, as companhias que licenciaram as marcas da Nokia e da BlackBerry, HMD e TCL, respectivamente, agora resolveram apostar suas fichas em aparelhos com Android, em vez do Windows Phone ou do BlackBerry OS.

Apple lança primeiro beta público do iOS 10.2.1 e macOS Sierra 10.12.3; veja como instalar

Ontem, a Apple lançou o primeiro beta para desenvolvedores do iOS 10.2.1 e macOS 10.12.3. Ainda não temos uma lista de novidades concreta, mas elas devem incluir diversas correções de bugs e aprimoramentos de usabilidade. A novidade de hoje é que a Maçã já liberou o beta para o público dos dois sistemas operacionais. 

Caso você tenha interesse em participar dos testes beta e ainda não está cadastrado no programa da Apple, trouxemos um guia para ajudá-lo com todas as etapas.


Download do iOS 10.2.1 beta público 1 no seu iPhone ou iPad



A Apple acaba de lançar o iOS 10.2.1 beta 1 público para os membros do Programa de Software Beta. Se você já tiver uma versão beta público do iOS 10 instalada, vá para Configurações> Geral> Atualizações de Software e faça o download. Se você está aguardando o iOS 10.2.1 para começar com os testes do sistema, siga os passos para a configuração.
Como fazer um backup do seu iPhone ou iPad

Antes de começar, certifique-se de fazer backup de seu iPhone ou iPad. Enquanto o processo beta é bastante direto, quando você faz qualquer mudança significativa para o seu dispositivo você corre alguns riscos de encontrar problemas. E com os seus dados pessoais, é sempre melhor prevenir do que remediar. 
Conecte o iPhone ou iPad em seu Mac ou PC com Windows.
Inicie o iTunes.
Clique no ícone do iPhone ou iPad na barra de menus quando aparecer.
Verifique se o backup está definido como This Computer (Este computador) Ative backup criptografado - vale a pena!
Clique em Fazer backup agora. (Clique em Criptografar backup e adicione uma senha - você quer segurança.)
Faça backup de aplicativos, se solicitado.



Pressione Comando, para abrir Preferências (ou vá para o iTunes na barra de menus e clique em Preferências).
Clique na aba de dispositivos.
Clique em Option e clique em Backup e escolha Archive.




O arquivamento impedirá que seu backup atual seja substituído por um backup do iOS 10 no futuro, caso você queira reverter por qualquer motivo.
Como registrar sua conta para o beta público do iOS 10.2.1 

Se você já participou dos betas públicos da Apple no passado, não precisa se registar novamente para o iOS 10.2.1; Basta iniciar a sessão com o mesmo Apple ID. Se você nunca aderiu aos testes públicos antes, comece inscrevendo-se com o ID.
Vá para beta.apple.com no iPhone ou iPad que você deseja inscrever para a versão beta.
Toque em Inscreva-se para começar.
Digite seu endereço de e-mail e senha do Apple ID.
Toque em Iniciar sessão.
Toque em Aceitar para concordar com os termos e condições.
Assim que estiver inscrito e conectado, é hora de iniciar o download.
Como inscrever seu iPhone ou iPad no beta público do iOS 10.2.1 

Ao contrário das atualizações regulares do iOS, onde você simplesmente toca e inicia o download, a Apple está usando perfis de configuração para validar dispositivos para o beta público. Veja como instalá-lo.

Observação: se você já esteve em uma versão beta anterior do iOS, talvez seja necessário remover o perfil anterior antes de instalar a versão do iOS 10. Pode fazê-lo em Definições> Geral> Perfil, selecionando o perfil de software beta do iOS e escolhendo Excluir Perfil.
Vá para beta.apple.com
Toque no separador iOS, se não estiver realçado.
Toque em transferir perfil.
Toque em Instalar no canto superior direito.
Digite seu código de acesso.
Toque em Instalar, desta vez para concordar com o contrato do beta. 
Toque em Instalar na parte inferior para confirmar. 
Toque em Reiniciar para reiniciar o dispositivo.

Assim que o seu iPhone ou iPad terminar de reiniciar, ele deve começar a baixar o iOS 10 automaticamente. Deste ponto em diante, o processo é o mesmo que qualquer outra atualização do iOS.
Como instalar o iOS 10.2.1 beta público 

Para instalar o iOS 10.2.1 beta, você precisará visitar a seção de Atualização de Software no seu iPhone ou iPad.
Inicie as configurações a partir da tela inicial, toque em geral e Atualização de Software.
Quando a atualização aparecer, toque em Download e Instalação.
Digite seu código de acesso.
Selecione Aceitar duas vezes. para confirmar.



Seu iPhone ou iPad será reinicializado para instalar o iOS 10.2.1. Haverá barras de progresso atravessando a tela. Relaxe e deixe tudo terminar.
Como começar com o iOS 10.2.1 beta público 

Uma vez que seu iPhone ou iPad reiniciar, ele estará executando o sistema. Há um pouco de configuração que você precisará passar, no entanto, pois tudo terá mudado o suficiente para que você precise realizar o login para concluir a atualização.


Toque em Continuar.
Digite sua senha do Apple ID. As configurações do iCloud serão atualizadas, então dê um minuto.
Toque em Iniciar.Uma vez feito isso, você estará na tela inicial e pronto para usar o sistema

segunda-feira, dezembro 19, 2016

Nokia Lumia 520 consegue rodar Android 7.1 Nougat

Nokia Lumia 520 consegue rodar Android 7.1 Nougat
Smartphone com Windows Phone 8 funciona com a CyanogenMod 14.1, baseada na última versão do Android

Parece que encontramos mais um smartphone imortal: o Nokia Lumia 520. Lançado em 2013, ele fez bastante sucesso no mercado brasileiro, custando menos de 500 reais e entregando mais desempenho, tela e câmera que os Androids da mesma faixa de preço. O smartphone não recebeu atualização para o Windows 10 Mobile — mas é um dos 0,3% dos smartphones que já podem rodar Android 7.1 Nougat.


Estamos falando de um smartphone com processador dual-core Snapdragon S4 Plus de 1,0 GHz, 512 MB de RAM, 8 GB de armazenamento e uma bateria risível para os padrões atuais, de 1.430 mAh (mas que era suficiente na época do Windows Phone 8). Mesmo com um hardware tão limitado, um desenvolvedor conseguiu rodar a CyanogenMod 14.1, baseada na versão mais recente do Android, como apontado pelo OnMSFT:

O desempenho, obviamente, está longe de impressionar, mas é até decente para um processador tão simples. E ele traz todas as novidades do Nougat, incluindo o novo painel de configurações e o recurso de executar dois aplicativos ao mesmo tempo, dividindo a tela. Os aplicativos do Google, como a Play Store e o Chrome, não foram embutidos na ROM, mas normalmente é simples instalá-los.

Mas e se o hardware for um pouquinho melhor? O mesmo desenvolvedor repetiu o feito no Lumia 525, que é basicamente um Lumia 520 com 1 GB de RAM (e que não chegou a ser vendido no Brasil). Nele, o Android 7.1 Nougat roda de maneira fluida (!), com direito ao Pixel Launcher e todas as animações da interface, causando inveja num Moto G com sistema mal otimizado:

Acho que o HTC HD2 (lançado em 2009, que roda Windows Mobile 6.5, Windows Phone 8, Android 7.0 e até Ubuntu) ganhou um concorrente.

BlackBerry deixa de fabricar smartphones e licencia marca para chinesa

Fabricante chinesa TCL vai produzir smartphones Android com marca da BlackBerry.


A BlackBerry anunciou recentemente de forma oficial a sua saída do negócio de produzir smartphones. Agora a empresa canadense revelou que licenciou sua marca para a fabricante chinesa TCL produzir aparelhos Android com o logo da BlackBerry.

Com isso, a TCL poderá fabricar e vender os próximos celulares da BlackBerry em todo o mundo, com exceção dos seguintes países: Índia, Indonésia, Bangladesh, Sri Lanka e Nepal, onde a BlackBerry fechou acordos locais de licenciamento.

Vale destacar que a mudança não será nada demais para a TCL, que já foi responsável pelos dois smartphones mais recentes da BlackBerry, o DTEK50 e o DTEK60, ambos com sistema Android.

Com isso, a BlackBerry segue um caminho parecido com a Nokia, que licenciou recentemente sua marca para a empresa finlandesa HMD Global usar em novos telefones celulares.

Líderes do mercado mobile em um passado cada vez mais remoto, Nokia e BlackBerry não conseguiram acompanhar as mudanças do segmento, seja a importância do touch nos smartphones, caso da Nokia, ou em reconhecer que o próprio sistema não poderia competir com o Android, caso da BlackBerry.

Não por acaso, as companhias que licenciaram as marcas da Nokia e da BlackBerry, HMD e TCL, respectivamente, agora resolveram apostar suas fichas em aparelhos com Android, em vez do Windows Phone ou do BlackBerry OS.

quinta-feira, dezembro 15, 2016

Apple libera versão atualizada do iOS 10.1.1

Apple libera versão atualizada do iOS 10.1.1, confundindo as cabeças de muita gente
Em um movimento que confundiu as cabeças de todos os donos de iGadgets num dia já deveras (deveras!) atordoante para o mundo, a Apple liberou hoje mais cedo uma nova versão do iOS 10.1.1. Sim, isso mesmo: o número de versão continua igual, mas a compilação é diferente (agora é a 14B150; a anterior era a 14B100).









As informações ainda são desencontradas no momento — aparentemente, esta atualização não traz nenhuma novidade além de correções de bugs e melhorias de performance, mas relata-se que usuários que já estavam no iOS 10.1.1 anteriormente não poderão (ou precisarão) fazer o update, apenas aqueles que estavam em versões anteriores do sistema. Por outro lado, a atualização inexplicavelmente apareceu no meu iPhone 5c, que estava rodando justamente o 10.1.1 “anterior”.

iPads

iPad Pro de 9,7 polegadas

iPad Pro de 12,9 polegadas

iPads Air 2, mini 4 e mini 3

iPads Air e mini 2

iPad de quarta geração

iPhones

iPhone 7

iPhone 7 Plus

iPhone SE

iPhones 6s e 6

iPhones 6s Plus e 6 Plus

iPhone 5s

iPhones 5c e 5

iPod touch

iPod touch de sexta geração

Para fazer a instalação, baixe a atualização referente ao seu dispositivo pelos links acima. Depois, conecte o aparelho ao Mac/PC, abra o iTunes, vá em “Resumo” e clique no botão “Buscar Atualização” enquanto segura a tecla Option. Na janela que se abrirá, navegue até o arquivo que foi baixado e o selecione.

Alcatel confirma chegada do Idol 4S em mais países



A Alcatel discretamente anunciou o Idol 4S, um smartphone com Windows 10 Mobile e Snapdragon 820, que logo chamou atenção do público. Este aparelho fez tanto sucesso que, mesmo sendo mais recente, conseguiu se tornar mais popular do que o HP Elite x3. Agora, rumores indicam que a empresa irá aproveitar o bom momento para disponibilizar o Idol 4S em mais países além dos Estados Unidos.

Atualmente o smartphone da Alcatel é exclusivo da operadora T-Mobile nos Estados Unidos, porém o perfil francês da empresa publicou um tweet onde revela planos de disponibilizar o Idol 4S também na Europa. Isso deve alegrar os fãs do Windows 10 Mobile, já que com isso terão um smartphone com configurações top de linha, além de também ser um belo concorrente ao Elite x3.



Especificações técnicas



Tela de 5,5 polegadas
Resolução Full HD (1920 x 1080 pixels) para a exibição de conteúdo
4 GB de RAM
64 GB de memória para o armazenamento interno
Entrada para cartão microSD de até 32 GB
Chipset Qualcomm Snapdragon 820
Processador de quatro núcleos Kryo rodando em até 2,0 GHz
Adreno 530 como placa gráfica
Câmera principal de 21 megapixels (sensor Sony IMX230, gravação em 4K e PDAF)
Câmera frontal de 12 ou 8 megapixels (sensor Omnivision OV8850 e lentes grande-angulares)
Leitor de impressões digitais integrado no painel posterior
Porta USB-Type C
Sistema operacional Windows 10 Mobile

Infelizmente, nada foi falado sobre a chegada do Idol 4S no Brasil. Como a empresa comercializa alguns aparelhos por aqui, é possível que este smartphone chegue em algum momento, porém não há qualquer previsão. De qualquer forma, pelo preço de US$ 469 (R$ 1,5 mil, em conversão direta) pode ser uma boa alternativa aos smartphones tops de linha com Android.

Xiaomi está prestes a lançar Mi Pad 3, aparelho com bateria de 8290 mAh e Windows 10 Home



A Xiaomi já alegou anteriormente que está, sim, muito interessada em continuar a produzir tablets. A grande novidade é o Mi Pad 3, um dispositivo com tela de 9,7 polegadas e nada menos que 8 GB de memória RAM. A estimativa é que o eletrônico já esteja disponibilizado no mercado asiático até o dia 30 de dezembro.

Embora o tablet tenha sido anunciado para rodar com Windows 10 Home, existe também a possibilidade de uma variante com Android. A bateria de 8290 mAh chama bem atenção, ainda mais quando a fabricante diz que isso é o suficiente para manter o aparelho ligado por 1560 horas.


Veja algumas especificações técnicas do aparelho:

Tela de 9,7 polegadas (2048 x 1536p)
Sistema operacional Windows 10 Home
Bateria com 8290 mAh
USB Type-C
Memória interna de 128 GB/ 256 GB
Memória RAM de 8 GB
Intel Core m3-7Y30
Intel HD Graphics


De acordo com o site Tech Tablets, a versão mais básica com 128 GB será vendida por algo em torno de US$ 340 (convertido para R$ 1090, sem considerar os impostos) e as unidades com 256 GB custarão US$ 390 (US$ 1250, também sem acrescentar impostos). Ainda não se sabe a disponibilidade do tablet e nem se ele será comercializado no Brasil.

Os portáteis da chinesa Xiaomi são considerados bem baratos em relação aos produtos vendidos pela concorrência nas mesmas especificações. O brasileiro Hugo Barra, que ocupa o cargo de vice-presidente global, já explicou que o modelo de negócios da companhia prioriza outros aparelhos mais elaborados, como assistentes domésticos, para gerar lucro à firma. A Xiaomi, inclusive, lançou um patinete inteligente nos últimos dias, o Smart Electric Scooter, com integração USB e outras tecnologias envolvidas.

Apple libera versão atualizada do iOS 10.1.1


Apple libera versão atualizada do iOS 10.1.1, confundindo as cabeças de muita gente


Em um movimento que confundiu as cabeças de todos os donos de iGadgets num dia já deveras (deveras!) atordoante para o mundo, a Apple liberou hoje mais cedo uma nova versão do iOS 10.1.1. Sim, isso mesmo: o número de versão continua igual, mas a compilação é diferente (agora é a 14B150; a anterior era a 14B100).



As informações ainda são desencontradas no momento — aparentemente, esta atualização não traz nenhuma novidade além de correções de bugs e melhorias de performance, mas relata-se que usuários que já estavam no iOS 10.1.1 anteriormente não poderão (ou precisarão) fazer o update, apenas aqueles que estavam em versões anteriores do sistema. Por outro lado, a atualização inexplicavelmente apareceu no meu iPhone 5c, que estava rodando justamente o 10.1.1 “anterior”.

Caso surjam novas informações relacionadas a esta atualização, incluiremos aqui no post. Como estão os iGadgets de vocês?

Atualização, por Eduardo Marques · 09/11/2016 às 23:44

Eis os links diretos para download da nova compilação, caso você ache realmente necessário atualizar o seu iGadget:
iPads
iPad Pro de 9,7 polegadas
iPad Pro de 12,9 polegadas
iPads Air 2, mini 4 e mini 3
iPads Air e mini 2
iPad de quarta geração
iPhones
iPhone 7
iPhone 7 Plus
iPhone SE
iPhones 6s e 6
iPhones 6s Plus e 6 Plus
iPhone 5s
iPhones 5c e 5
iPod touch
iPod touch de sexta geração

Para fazer a instalação, baixe a atualização referente ao seu dispositivo pelos links acima. Depois, conecte o aparelho ao Mac/PC, abra o iTunes, vá em “Resumo” e clique no botão “Buscar Atualização” enquanto segura a tecla Option. Na janela que se abrirá, navegue até o arquivo que foi baixado e o selecione.

Microsoft mostra o Windows 10 para arquitetura ARM

Microsoft mostra o Windows 10 para arquitetura ARM

A Microsoft mostrou nesta quinta-feira o Windows 10 para arquitetura ARM. Esta versão do sistema operacional apresentada durante a WinHEC 2016 na China rodará em dispositivos com processadores da Qualcomm.

De acordo com a Microsoft, esta versão do sistema operacional inclui a tecnologia de emulação x86 conhecida como "Cobalt". Esta tecnologia permitirá a execução de softwares tradicionais, como o Photoshop.

A Microsoft já ofereceu uma versão do Windows para a arquitetura ARM, o Windows RT. A grande limitação desta versão é que ela só rodava aplicativos obtidos via Windows Store ou os já pré-instalados. Esta limitação acabou afastando potenciais usuários.


Com o Windows 10 para arquitetura ARM, esta limitação será uma coisa do passado. Os usuários poderão rodar tanto softwares tradicionais como o já mencionado Photoshop e o Office, como jogos populares:




Microsoft mostra o Windows 10 para arquitetura ARMBaboo - Tecnologia e Ciência

Windows 10 rodando em um dispositivo com o processador Qualcomm Snapdragon 820. Este processador já é utilizado nos smartphones HP Elite x3 e Alcatel IDOL 4S

A demonstração feita hoje pela Microsoft mostra o Windows 10 para arquitetura ARM rodando em um dispositivo com o processador Qualcomm Snapdragon 820, que já é utilizado nos smartphones HP Elite x3 e Alcatel IDOL 4S.

Vídeo mostrando o Photoshop no Windows 10 para arquitetura ARM:

Moto M ganha data de estreia oficial em mais um país


Conforme o noticiado em 29 de novembro, Lenovo está com planos de levar o Motorola Moto M a mais um mercado. Nesta quinta-feira, 8 de dezembro, a estreia oficial do telefone de médio porte ganhou uma data formal para os clientes que moram na Índia.

De acordo com um convite enviado pela gigante da China, o aparelho mediano será lançado em solo onde vacas são consideradas animais sagrados no dia 13 de dezembro, isto é, os fãs interessados precisam esperar até a terça-feira da semana que vem.


Imagem: convite da Lenovo para a estreia do Motorola Moto M na Índia.

Hipnotizante, magistral e majestoso (assim como você). Venha se juntar a nós enquanto revelamos a obra-prima metálica que combina com seu estilo! – Diz a Lenovo ao assumir as rédeas da Motorola para enviar um convite à imprensa local da Índia a fim comparecerem ao evento especial.

Embora o nome Moto M esteja ausente no material, uma imagem com seu contorno aparece mais abaixo, centralizado no conteúdo. Desta forma, a novidade deixará de ser um exclusivo da China a partir da próxima semana. Veja mais detalhes a seguir.
Motorola Moto M (by Lenovo)


Imagem: Motorola Moto M.

Tela Super AMOLED de 5,5 polegadas, protegida pelo vidro curvo 2.5D
Resolução Full HD (1920 x 1080 pixels) para o display
4 GB de RAM
32 GB de memória para o armazenamento interno
Expansível via cartão microSD de até 128 GB
Chipset MediaTek Helio P15
Processador de oito núcleos ARM Cortex-A53 rodando em até 2,2 GHz
ARM Mali-T860 MP2 como placa gráfica rodando em até 800 MHz
Câmera principal de 16 megapixels com autofoco em detecção de fase e dois LEDs para o flash
Câmera frontal de 8 megapixels, usando lentes grande-angulares de 85 graus
Leitor de impressões digitais no painel posterior
Dolby Atmos para reprodução sonora (porta de 3,5 milímetros inclusa)
Conectividades 4G VoLTE, WiFi 802.11 ac, Bluetooth 4.1 LE, GPS, NFC
Porta USB Type-C
Dimensões de 151,35 x 75,35 x 7,85 milímetros
Bateria de 3.050 mAh
Android 6.0.1 Marshmallow como sistema operacional

Apesar de não haver informações sobre o preço cobrado pelo Motorola Moto M na Índia, os chineses conseguem comprar uma unidade ao gastarem 1999 yuan, aproximadamente US$ 300, ou cerca de R$ 1.020, usando a cotação atual da moeda chinesa como base de conversão, desconsiderando os impostos brasileiros.

Samsung anuncia nova geração do Galaxy On7 no Brasil; confira o que muda

Ao vivo agora: Ao vivo. Olhar Digital News 08 de dezembro

(Foto: Reprodução)
Samsung anuncia nova geração do Galaxy On7 no Brasil; confira o que muda

A Samsung acredita que é possível vender smartphones de tela grande no Brasil sem precisar ir muito além da faixa dos R$ 1.000. É o que ela tenta provar com a segunda geração do Galaxy On7, anunciado nesta quarta-feira, 7.

O novo celular da coreana tem tela de 5,5 polegadas e resolução HD, além de 16 GB de espaço interno de armazenamento, processador quad-core de 1,2 GHz e 1,5 GB de RAM. A bateria é de 3.000 mAh e as câmeras têm 13 MP e 5 MP (traseira e frontal, respectivamente).

O preço sugerido pela Samsung é de R$ 999. Em 2015, a empresa lançou a primeira geração do On7 custando R$ 950 e com a mesma tela HD de 5,5 polegadas. Na época, o celular era vendido apenas pela internet e vinha com 8 GB de memória interna. As outras especificações são as mesmas.

Saiba por que existe um buraco entre a câmera e o flash do iPhone

(Foto: Reprodução)
Saiba por que existe um buraco entre a câmera e o flash do iPhone

Você pode não ter prestado muita atenção, mas existe um pequeno buraco entre a câmera e o flash na parte traseira de todos os iPhones. Mas, afinal, para que ele serve?




O pequeno buraco é, na verdade, um microfone. Ele serve principalmente para analisar e remover barulho externo durante ligações telefônicas e chamadas no FaceTime. O microfone também tem como propósito reduzir ruídos no gravador de voz do iOS e ajudar a Siri a reconhecer a voz do dono do aparelho.

Este não é o único microfone presente no dispositivo. Além do principal, que fica na parte inferior do aparelho, há um escondido no alto-falante superior do smartphone que é desligado durante as ligações.

Próximo iPhone deve ganhar uma opção de cor bem diferente

(Foto: Reprodução)
Próximo iPhone deve ganhar uma opção de cor bem diferente

O mercado de tecnologia está ansioso para conhecer o próximo iPhone. Como o dispositivo completará 10 anos em 2017, rumores indicam que o smartphone deve passar por uma grande mudança, incluindo na paleta de cores.

Nos últimos anos, a Apple vem oferecendo cores diferentes além dos tradicionais preto e prata, como dourado, rosa e jet black. Agora, a empresa deve trazer para o mercado a cor vermelha – algo bem diferente das opções sóbrias disponíveis até então.

Vale lembrar que a companhia chegou a vender celulares coloridos com o lançamento do iPhone 5c em 2013, mas descontinuou a linha dois anos depois. 



As informações são do blog Mac Otakara, um site que tem histórico de acertar nos rumores sobre os produtos da Apple. Recentemente, o site informou também que a fabricante pretende disponibilizar a versão branca do iPhone 7, apesar de indicar que sua fonte "pode não ser confiável".