Especial Iphone 7

Apple revela iPhone 7 e 7 Plus, traseiras no iPhone 7 Plus?


(Foto: Reprodução)
Para que servem as duas câmeras traseiras no iPhone 7 Plus?

Durante o anúncio do iPhone 7 na tarde desta quarta-feira, 7, uma das novidades que mais chamaram a atenção dos espectadores e fãs da marca foi ver o estranho par de câmeras traseiras na versão maior do aparelho, o iPhone 7 Plus.

A explicação da Apple, porém, veio logo em seguida. As duas câmeras têm 12MP cada uma, mas são usadas em funções diferentes. Uma delas é especializada em fotos para objetos distantes; a outra é mais voltada para objetos próximos.

A câmera da esquerda usa uma lente de ângulo aberto, enquanto a da direita usa uma lente teleobjetiva (ou telefoto). Enquanto a primeira consegue capturar uma área maior em frente ao celular em cada fotografia, a segunda captura uma área menor, mas com a mesma qualidade e resolução.



Isso permite que o iPhone 7 Plus tire fotos com zoom óptico de até 2x, sem perda de qualidade ou resolução. Explicamos: o que smartphones geralmente chamam de zoom é um aumento da imagem na tela sem aumentar a resolução. Por isso, quando você usa o zoom digital num celular ou câmera, a foto é "esticada" e naturalmente perde a qualidade.

O zoom óptico, portanto, é o zoom "de verdade", o que realmente aproxima a imagem de um ponto específico mantendo a mesma qualidade. É isso o que o iPhone 7 Plus consegue fazer com o sistema de duas câmeras. Além do zoom óptico, o software do aparelho permite dar zoom de até 10 vezes, embora com uma ligeira perda de qualidade considerando que, a partir do 2x, o zoom é digital.

Mas não é só isso que a câmera dupla do iPhone 7 Plus faz. Um outro importante recurso é o de maior profundidade de campo. Usando os dois sensores ao mesmo tempo, o smartphone consegue criar aquele efeito em que o fundo da imagem fica borrado e os objetos ou pessoas mais próximas ficam em destaque. Como nessa imagem, tirada por um iPhone 7 Plus (segundo a Apple):



Não é a primeira vez, contudo, que uma fabricante coloca duas câmeras traseiras no smartphone. O LG G5, lançado neste ano, por exemplo, possui dois sensores, um com 8MP e outro com 16MP, com objetivo parecido com o da Apple: registrar imagens em ângulos diferentes, um maior e outro menor.

Semelhantemente, o Huawei P9, um top de linha chinês que não é vendido no Brasil, também veio com duas câmeras. A ideia do aparelho, porém, foi usar os dois sensores para tratar as cores da imagem de maneiras diferentes. Um deles registra uma foto monocromática e o outro registra a mesma imagem colorida e três vezes mais brilhante.

Se a câmera dupla vai se tornar uma tendência e começar a aparecer em outros tops de linha de destaque pelo mundo, como o Galaxy Note 8, da Samsung, só o tempo dirá. De qualquer forma, o avanço da tecnologia promete um futuro recheado de fotografias de altíssima qualidade.
Apple lança smartwatch à prova d'água e com processador dual-core


(Foto: reprodução)
Apple lança smartwatch à prova d'água e com processador dual-core


A Apple aproveitou o evento desta quarta-feira, 7, para anunciar o lançamento de mais um modelo do Apple Watch. Chamado de Apple Watch Series 2, ele chega ao mercado processador mais potente, com capacidade de suportar atividades aquáticas e também com suporte ao game mobile de maior sucesso atualmente, Pokémon Go. Ele chega ao mercado a partir de US$ 370.

Já o Apple Watch Series 1, modelo antecessor, vai ser atualizado para o processador dual-core e custará US$ 270.

A inovação tem design mais moderno com tela com bordas curvas e imagens bem coloridas. O display, inclusive, tem o dobro de brilho do modelo anterior o que vai facilitar a visualização da tela em dias de sol. Ele conta com uma variedade de pulseiras diferentes e o corpo é reforçado e mais resistente.

Em termos de hardware, ele chega com processador dual-core que é 50% mais rápido do que o modelo anterior e GPU duas vezes mais potente. Outra novidade é o built-in GPS que facilita a geolocalização do aparelho e ajuda os desenvolvedores a criarem aplicativos que usam o recurso.

Diferentemente do primeiro modelo que era apenas a prova de acidentes com água, esse é realmente resistente as atividades aquáticas, podendo ser usado para natação com até 50 metros de profundidade. Há também suporte de aplicativos para os nadadores de plantão. O software mostra as voltas, os metros percorridos e também as calorias gastas na atividade.

O novo modelo está mais funcional com o sistema operacional watchOS 3 que facilita principalmente o envio de mensagens pelo gadget. Há inclusive suporte para outras linguagens, como chinês tradicional.

A tecnologia também recebeu novos aplicativos que permite o contato com serviços de emergência com um simples toque no dispositivo para facilitar a chamada. Os atendentes já recebem a localização da emergência automaticamente.

Fitness e Pokémon Go

Jogos e aplicativos voltados para o setor fitness também foram incorporados, inclusive medidores de velocidade. A principal novidade fica por conta da inclusão do game Pokémon Go no dispositivo.

O game mobile de maior sucesso da atualidade receberá uma versão própria para o relógio inteligente que vai facilitar a vida de quem pratica exercícios e também é um treinador virtual no jogo.

O relógio vai mostrar a distância que falta para que um ovo seja chocado, além das calorias queimadas e os pokémons próximos. Também será possível recolher itens das poké-stops apenas com o relógio. A má notícia é que não é possível capturar pokémons pelo dispositivo.

No fim das corridas, o relógio mostra um resumo do que aconteceu naquele percurso. Todos os itens recolhidos, as calorias queimadas, a distância percorrida e o tempo de exercício.

A Apple também deixou claro que espera atingir um público variado com a novidade, mas que tem consciência de que o produto será mais querido por quem pratica exercícios físicos com frequência, principalmente corredores.

Por esse motivo, a empresa firmou uma parceria com a Nike para oferecer melhorias no app da marca esportiva para lançar o Apple Watch Nike+, uma versão voltada para o público esportista.
Anunciado por US$ 160, novo fone de ouvido da Apple tem preço absurdo no Brasil


(Foto: reprodução)
Anunciado por US$ 160, novo fone de ouvido da Apple tem preço absurdo no Brasil

Os AirPods, os novos fones de ouvido da Apple que contam com a tecnologia de sensores infravermelho, não serão nada baratos por aqui. Anunciado nesta quarta-feira, 7, nos Estados Unidos custando US$ 160, o produto chega ao Brasil a partir de R$ 1.259 para pagamentos à vista.

A Apple ainda não se manifestou sobre o motivo do valor ser quase três vezes mais alto do que a conversão direta do preço em dólar para o real, que giraria em torno de R$ 520. Contudo, a expectativa é de que a empresa culpe a alta carga de impostos do país pelo valor praticado.

Para quem pensa em comprar o dispositivo, a boa notícia é que ele pode ser parcelado em até 12 parcelas sem juros pelo site oficial da marca. Neste caso, porém, ele sai por R$ 1.399 já que o valor à vista tem desconto de 10%.

com duas câmeras traseiras



(Foto: reprodução)
Apple revela iPhone 7 e 7 Plus, com duas câmeras traseiras

A Apple anunciou hoje os iPhones 7 e 7 Plus, os novos modelos de sua linha de smartphones. Como aconteceu com os aparelhos anteriores, a versão Plus do iPhone 7 mantém a tela de 5,5 polegadas, enquanto o iPhone 7 segue com o tamanho de 4,7 polegadas. Os dois dispositivos terão resistência a água e uma nova cor preta, chamada "Jet Black".

O iPhone 7 Plus, desta vez, não é apenas maior do que o seu irmão menor. O dispositivo tem também uma configuração dupla de câmeras traseiras, com dois sensores de 12MP e duas lentes diferentes: uma grande-angular e uma teleobjetiva. Elas podem ser combinadas para fotografar com detalhe basicamente em qualquer situação.

Além disso, a Apple confirmou os rumores e decidiu eliminar a porta de fones de ouvido. A única entrada do aparelho será a do carregador Lightning, que também pode ser usada para fones com uma entrada especial. A empresa oferecerá um adaptador para que os usuários possam usar seus fones antigos com o celular novo.

Novo corpo, novas lentes

A "carcaça" dos iPhones 7 e 7 Plus é resistente a poeira e a água, diferentemente dos anteriores. O novo botão Home do iPhone 7 também é sensível a pressão, e é integrado também à Taptic Engine do dispositivo, o que significa que o aparelho pode enviar sinais de toque por meio do botão.

Todos os iPhones novos, tanto o 7 quanto o 7 Plus, terão lentes com abertura de f/1.8, que permite a entrada de até 50% mais luz, e sensores mais rápidos e eficientes que os das câmeras anteriores. O flash tem quatro cores diferentes, e consegue emitir até 50% mais luz. As câmeras também têm estabilização óptica de imagem, o que evita que fotos e vídeos saiam tremidas.

O software da câmera também é capaz de tirar várias fotos simultaneamente e selecionar as melhores cores de cada uma para compor uma imagem mais precisa. A empresa promete que esse processo leva menos de 25 milissegundos. A câmera frontal do dispositivo também foi melhorada para 7MP (a dos iPhones anteriores tinha 5MP).


Duas câmeras

O iPhone 7 tem duas câmeras diferentes, com duas lentes diferentes. Uma delas é especializada em fotos para objetos distantes; a outra é mais voltada para objetos próximos. Isso permite que ele tire fotos melhores numa variedade maior de situações.

O mais interessante, porém, é que esse recurso permite que o iPhone tire fotos com zoom óptico de até 2x, sem perda de qualidade ou resolução. Com o auxílio de software, é possível dar zoom de até 10 vezes no aplicativo de câmera do iPhone 7 Plus, embora com uma ligeira perda de qualidade.

Além disso, a câmera do iPhone 7 Plus gera um efeito de foco. Quando uma foto é tirada, o software da câmera cria um "mapa de profundidade" que aplica um efeito que borra o fundo da foto. Esse recurso será extendido também para os iPhones antigos por meio de uma atualização de software ainda em 2016.

Adeus aos fones P2

Os novos iPhones também são os primeiros smartphones da Apple a ter auto-falantes stereo, e segundo a empresa eles são capazes de tocar música até 2x mais algo que o dos iPhones 6s e 6s PLus, com qualidade melhor.

Um dos pontos mais contenciosos dos novos aparelhos, porém, é que eles eliminam as saídas de áudio P2, tornando inúteis milhões de fones no mundo inteiro. Fones que queiram se conectar aos iPhones 7 e 7 Plus precisarão de conectores Lightning, mas a Apple incluirá na caixa dos novos iPhones novos fones de ouvido com essa conexão, além de adaptadores P2/Lightning.

Segundo a empresa, a remoção da saída P2 foi feita para liberar mais espaço dentro dos iPhones, já que diversos outros componentes ocupam um espaço cada vez menor dentro da carcaça do aparelho. Além disso, a empresa também acredita que fones sem fio também se adaptam melhor a essa conexão, e aproveitou a ocasião para anunciar os AirPods, seus fones sem fio oficiais.


Entranhas ágeis

Em termos de performance, os iPhones 7 e 7 Plus terão o novo processador A10 Fusion, de quatro núcleos - o primeiro quad-core de iPhones - com cada núcleo rápido sendo até 40% mais rápido que os dois do A9. Os outros ois núcleos, por sua vez, são mais lentos e usados em aplicações mais leves para economizar energia. Esse procesador, segundo a Apple, é 180 vezes mais rápido que o do iPhone original. Segundo a empresa, o A10 Fusion é o processador mais rápido já colocado em um smartphone.

Com ele, segundo a Apple, será possível levar jogos do nível de consoles para os novos iPhones. Aplicativos como o Adobe Lightroom também poderão se tornar mais semelhantes às suas versões de desktop. Com vista no mercado japonês, os novos iPhones terão conectividade NFC Felica, um padrão de comunicações usados no país. Isso permitirá que o Apple Pay seja lançado no Japão.

A bateria dos aparelhos, segundo a Apple, devem oferecer o maior tempo de uso de qualquer iPhone. Usuários que atualizem do iPhone 6s para o 7 devem esperar mais 2 horas de bateria por dia, e quem for do 6s Plus para o 7 Plus poderão contar com mais uma hora de bateria por dia.

Quando e quanto

A Apple começará a vender, em pré-venda, os iPhones 7 e 7 Plus, no dia 9 de setembro, e os aparelhos deverão chegar às lojas no dia 16 de setembro. O iPhone 7 estará disponível em versões de 32GB, 128GB e 256GB, por preços de US$ 650, US$ 700 e US$ 750 respectivamente.

O iPhone 7 PLus, por sua vez, estará disponível nessas mesmas configurações de armazenamento, por preços a partir de US$ 770 (para a versão de 32GB). Os iPHones 6s e 6s Plus também terão suas versões de 16GB "melhoradas" para 32GB. Os dois novos aparelhos serão lançados nas cores rose gold, dourado, prateado, preto e jet black. Ainda não há informações sobre o lançamento dos dispositivos no Brasil.
Para que servem as duas câmeras

Anunciado por US$ 160, novo fone de ouvido da Apple tem preço absurdo no Brasil


(Foto: reprodução)
Anunciado por US$ 160, novo fone de ouvido da Apple tem preço absurdo no Brasil


Os AirPods, os novos fones de ouvido da Apple que contam com a tecnologia de sensores infravermelho, não serão nada baratos por aqui. Anunciado nesta quarta-feira, 7, nos Estados Unidos custando US$ 160, o produto chega ao Brasil a partir de R$ 1.259 para pagamentos à vista.

A Apple ainda não se manifestou sobre o motivo do valor ser quase três vezes mais alto do que a conversão direta do preço em dólar para o real, que giraria em torno de R$ 520. Contudo, a expectativa é de que a empresa culpe a alta carga de impostos do país pelo valor praticado.

Para quem pensa em comprar o dispositivo, a boa notícia é que ele pode ser parcelado em até 12 parcelas sem juros pelo site oficial da marca. Neste caso, porém, ele sai por R$ 1.399 já que o valor à vista tem desconto de 10%.





Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Colecionando problemas: Google Pixel tem falha na função toque duplo para despertar

Microsoft patenteia leitor de digital e gestos como o do Google Pixel

BlackBerry deixa de fabricar smartphones e licencia marca para chinesa