Google quer liberdade para o usuário a operadoras que tiver melhor sinal






O serviço de telefonia do Google pode ser diferente do que era previsto inicialmente.Segundo o Wall Street Journal, o plano da companhia é encerrar a dependência do usuário de apenas uma operadora para oferecer-lhe a possibilidade de selecionar o melhor sinal entre várias opções de operadoras.

A publicação cita que o serviço oferecido pelo Google seria capaz de receber e avaliar o sinal das operadoras Sprint e T-Mobile nos Estados Unidos, além de perceber hotspots de Wi-Fi próximos. Tudo isso seria comparado e analisado para determinar a melhor forma de direcionar chamadas, mensagens e tráfego de dados, segundo fontes que estariam familiarizadas com o plano.

A ideia seria começar a oferecer o plano ainda no primeiro semestre deste ano nos Estados Unidos, abrangendo todo o território, mas em um plano de expansão gradual do serviço.

Hoje, a telefonia móvel dos EUA funciona de forma similar ao resto do mundo: há algumas operadoras, cada uma oferece seu próprio chip SIM e, com ele, o usuário fica vinculado aos serviços prestados pela empresa, sejam eles bons, sejam eles ruin. Não é diferente do que acontece no Brasil.

O Google quer mudar isso, dando a opção para que o usuário tenha acesso ao que for melhor para ele na ocasião. Claro que isso dependeria de um acordo com as operadoras, já que ainda serão usados seus serviços; a empresa do Android já teria fechado parcerias com Sprint e T-Mobile, faltando ainda fechar com AT&T e Verizon para completar o quarteto das principais operadoras do país.

O plano é levemente semelhante ao que a Apple apresentou quando revelou seu novo iPad. Na ocasião, a companhia apresentou também o Apple SIM, um chip da própria empresa que permite que o usuário contrate serviços de internet da operadora que preferir pelo tempo que quiser sem precisar de contratos de longo prazo.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Colecionando problemas: Google Pixel tem falha na função toque duplo para despertar

Microsoft patenteia leitor de digital e gestos como o do Google Pixel

BlackBerry deixa de fabricar smartphones e licencia marca para chinesa