Correios anunciam início da oferta de telefonia celular para 2017


Estatal vai utilizar rede virtual da empresa EUTV, escolhida por comissão.
Previsão é de renda de R$ 12,6 milhões com venda de chips e recarga.

Em meio a mudanças na estrutura do governo promovidas pelo presidente em exercício Michel Temer, os Correios anunciaram nesta terça-feira (17) que fecharam acordo para começar a oferecer serviço de telefonia celular no país.

De acordo com a estatal, uma comissão especial escolheu nesta terça a empresa EUTV Consultoria e Intermediação de Negócios para ser sua parceira no novo projeto. Ela disputava o contrato com a Claro.

De acordo com os Correios, será explorado o serviço de telefonia móvel por meio de rede virtual. Os Correios não vão precisar investir em rede própria (antenas, cabos). Vão utilizar a rede da EUTV para prestar o serviço.

Entretanto, a EUTV não tem rede própria e já utiliza a da operadora TIM. Segundo os Correios, a EUTV tem autorização da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) para ter várias parcerias do tipo.

"Assim, os Correios serão um representante da EUTV, porém com planos de serviços e ofertas próprias, de acordo com o perfil do público que usa seus serviços e frequenta sua rede de agências de quase 12 mil pontos com presença em todo o território nacional", informou a estatal, em nota.

Segundo a estatal, para escolher a parceira a comissão levou em consideração o valor de remuneração oferecido a título de venda de chips pré-pagos, comissão pela venda de recargas nas agências dos Correios e na rede prestadora. A EUTV ofereceu R$ 297 milhões para um contrato inicial de 5 anos.

Previsão
A estatal informou que espera arrecadar R$ 4,5 milhões com a venda de seus chips em 2017 e que eles devem estar disponíveis para compra a partir de janeiro. Com recargas, é estimada receita de R$ 8,1 milhões no ano que vem. Os Correios esperam fechar 2017 com um milhão de clientes.

Assinada pelo então ministro Paulo Bernardo, a Portaria nº 416 avaliza os planos dos Correios e libera a empresa para buscar algum parceiro disposto a alugar sua infraestrutura. O plano da estatal, na época, era faturar R$ 1,5 bilhão a partir do quinto ano de operação do serviço de telefonia móvel.

Esse é um dos projetos da estatal para diversificar seus serviços, já que vem sofrendo queda de receita devido à queda de demanda por serviços postais. Em 2015, os Correios registraram prejuízo de R$ 2,1 bilhões.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Colecionando problemas: Google Pixel tem falha na função toque duplo para despertar

Microsoft patenteia leitor de digital e gestos como o do Google Pixel

BlackBerry deixa de fabricar smartphones e licencia marca para chinesa