Google fundirá sistemas Android e Chrome OS

Iniciativa, já há muito esperada, será implementada em 2017, dizem fontes

CEO do Google Sundar Pichai tornou-se responsável pelo Android e pelo Chrome OS em 2013 - DAVID PAUL MORRIS / Bloomberg


RIO - A Alphabet, holding do Google, planeja unir seu sistema operacional Chrome para computadores pessoais ao seu sistema operacional móvel Android, de acordo com pessoas familiarizadas com o assunto, um sinal do crescente domínio da plataforma no setor de computação móvel.
O Android é o sistema operacional mais usado do mundo, equipando mais de um bilhão de telefones e outros dispositivos feitos por dezenas de empresas. Já o Chrome OS roda em computadores pessoais, na maioria das vezes laptops chamados Chromebooks. Mas, no caso desses laptops, eles representam menos de 3% dos PCs de acordo com a empresa de pesquisa IDC.

A mudança é um reconhecimento já muito aguardado de que diferentes abordagens de computação incorporadas por Android e Chrome não são mais relevantes para o Google.

Segundo analistas, trata-se de uma tentativa do Google de ter o Android rodando em tantos dispositivos quanto possível, atingindo o máximo de usuários que puder. O sistema operacional é executado telefones, tablets, relógios, televisores e sistemas de entretenimento em automóveis. Adicionar laptops a esse rol seria um passo que aumentaria consideravelmente a base de usuários de um novo sistema misto Chrome OS/Android. Tal empreitada deve ajudar o Google a atrair mais desenvolvedores externos que queiram escrever aplicativos apenas uma vez e ver seus apps funcionando em tantos dispositivos quanto possível, com pouca modificação.

O novo sistema operacional do Google também vai dar aos usuários de PC acesso à Google Play Store, que oferece mais de um milhão de aplicativos, segundo as pessoas familiarizadas com o assunto.

Quanto aos laptops Chromebooks, eles deverão ter um novo nome ainda não determinado. O Google planeja manter o nome Chrome para o seu navegador de internet, que funciona em PCs e dispositivos móveis. E quanto ao Chrome OS, ele permanecerá como um sistema operacional de código aberto que outras empresas poderão usar para fazer laptops, e os engenheiros do Google continuarão a mantê-lo. No entanto, o foco da Google estará em expandir o Android para rodar em laptops, façanha já realizada mais de uma vez ao longo dos últimos anos por hackers d eforma experimental.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Colecionando problemas: Google Pixel tem falha na função toque duplo para despertar

Microsoft patenteia leitor de digital e gestos como o do Google Pixel

BlackBerry deixa de fabricar smartphones e licencia marca para chinesa